segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Feliz 2013!!!

        Ultimo dia do ano...grandes expectativas para o próximo ano que se inicia. Assim eu termino o meu ultimo dia de 2012. Perdi, ganhei, sorri, chorei, mas o melhor de tudo, me aceitei, cresci, aprendi evolui. Quero agradecer a todos os leitores do nosso blog por acompanhar nossas histórias. E desejo a vocês um lindo 2013, cheio de alegrias, aprendizado, conquistas. 

        Vou deixar um presente aqui para vocês, a história da Maira Santana, uma jovem de 26 anos, que como nós também tem Distrofia muscular, mas uma incrível vontade de lutar pela vida. Maira fez faculdade de comunicação - publicidade propaganda, e trabalha a 3 anos no Colégio Novo Acadêmico de Auxiliar de Secretária. Maira começou a utilizar a cadeira de rodas há 3 anos, foi uma grande fase de adaptação, porém melhor do que falar, vou deixar o vídeo dela para vocês assistirem  adorei conhece-la, e o vídeo é emocionante não percam.




FELIZ 2013!!!!!!
Beijos

domingo, 30 de dezembro de 2012

Crescimento pessoal e a história de Jonatas

Hoje vou falar de uma história muito bonita, de um rapaz que conheci este ano, através do facebook. O nome dele é Jonatas Brito, ele tem 31 anos, é lindo, baiano, uma vontade imensa de ser feliz, viciado em vídeo game e tem distrofia muscular do tipo cinturas.
 Há onze anos atrás um jovem vivia normalmente, fazia suas farras com amigos, ia a festas, malhava, sonhava em fazer sua faculdade de educação física, embora tivesse também interesse em fazer engenharia genética. De repente, começa a sentir perda muscular na panturrilha, e aquele jovem que sempre cuidando do físico nunca imaginaria que aqueles sintomas seriam um aviso de uma doença feito a distrofia!
 " Uma vez fui a um show e estava bebendo, de repente caio, e todos imaginavam que seria devido a bebida, poderia estar bêbado, mas não, a distrofia já estava avançando..."

Lidar com uma diferença de realidade tão grande foi muito difícil para esse rapaz, e ainda é. Sempre paquerado, namorando bastante, começou a se sentir inseguro, e a planejar términos antes mesmo deles existirem.

" forçava o fim do namoro porque achava que seria impossível alguma garota ficar comigo com esta doença."
Na época do cursinho pré vestibular, ele andava com uma turma e ninguém sabia o que se passava com ele, somente uma amiga, a melhor amiga até hoje, sentia que acontecia algo e sempre quando estavam caminhando diminuía os passos para acompanhá-lo e ainda falava aos outros que ela estava cansada e por isso andava devagar.  
 " ...nunca me senti a vontade em falar da distrofia, tinha vergonha, no início achei que tinha pouco tempo de vida, só depois fui percebendo que a distrofia que eu tinha não era fatal."
Bom...ele acabou largando a musculação, a  faculdade de educação física, o trabalho que tinha na época... Foram muitas perdas, que hoje ele busca perceber que fazem parte de uma evolução pessoal.
 " ...sempre tive o sonho de ser pai, há dois anos, de um relacionamento breve ganhei meu maior presente, minha filha Sophie. Sou apaixonado por ela, e tudo que faço é por ela. Ficar sem ela, só de imaginar... acaba comigo."




Hoje Jonatas está aposentado, porém com planos de voltar a trabalhar e estudar. Recentemente, aceitou a cadeira de rodas como uma aliada. Hoje ele sabe que podemos viver e nos adaptarmos com coisas desagradáveis que nos acontecem e pegam-nos de surpresa. Certamente se tornou uma pessoa melhor e um homem mais forte!!

sábado, 29 de dezembro de 2012

Um breve balanço das InPerfeitas


Como todos já estão carecas de saber, a ideia da criação deste blog foi a de reunir as nossas histórias de vida e aventuras diárias e mostrar que não é a deficiência física que limita, mas sim a falta de alegria e coragem de encarar os desafios. E quando colocamos o blog no ar, ficamos super ansiosas em saber a opinião dos amigos e familiares, que convivem de perto conosco mas que nem sempre tem noção do turbilhão de coisas que se passam nas nossas cabeças, e principalmente dos visitantes “anônimos” que por curiosidade e/ou necessidade de entender melhor as etapas vivenciadas por pessoas com alguma limitação, nos visitam em busca de respostas.

O que será que estas três Marias têm a mostrar ou a dizer de interessante? Será que realmente é muito difícil a vida de uma pessoa com deficiência? O lazer é um direito realmente de todos? Planos de carreira, planejar uma família, viver a dois, é possível!? Estas e muitas outras perguntas povoam nossas cabeças e fazem parte do nosso dia a dia e de tantas outras pessoas, com ou sem algum tipo de deficiência, mas que de um jeito todo nosso (meio palhaço e insano kkkkkkkkkk) tentamos mostrar que é possível sim. Não garanto que todas as questões serão respondidas, mas que elas serão SIM testadas e vivenciadas com muita vontade e disposição =)

Quando começamos a publicar, tínhamos uma meta: “Tentar chegar a 5 mil visualizações até o fim do ano”.  Mas para a nossa surpresa e total orgulho (nos achamos o máximo kkkkkkkk) conseguimos atingir essa marca com menos de 1 mês!!!!!! Temos recebido muitos comentários de incentivo de amigos e familiares além de depoimentos de pessoas que vivenciam os mesmos desafios que nós três. E isso é muuuuuuuuuuuuuito bom!!!!! Fico realmente orgulhosa em saber que o nosso blog, nosso sonho, está conseguindo atrair a atenção de tantas pessoas, que a nossa mensagem está chegando nestas pessoas e as ajudando a encarar as limitações físicas com mais facilidade. Essa sempre foi nossa preocupação, mostrar com leveza e alegria que a vida é pra ser vivida mesmo, e que todos nós possuímos alguma limitação, mas a forma de encará-la é o que realmente nos torna diferente.

Cada uma de nós com seu jeito (mania, loucura, beleza, inteligência e sem nenhuma falsa modéstia kkkkkkkkkkkkkkkkk) procurou abordar temas que até então não eram discutidos com a sensibilidade e naturalidade que colocamos. Expomos muitas de nossas bobeiras e neuras tão comuns em qualquer pessoa não como exemplos, pois estamos longe da perfeição e não nos vemos assim, mas para que todos as enfrentem, pois com força de vontade tudo é possível.  Procuramos mostrar a problemática de acessibilidade no lazer, no mercado de trabalho, e em diversas situações, além de falar sobre nossos Direitos e tratar também de explicar o que é a Distrofia e de que forma o preconceito pode ser “educado” (porque o preconceito nada mais é do que falta de informação). Três mulheres em fases e realidades diferentes, que encontraram na DM desafios semelhantes, além de  uma vontade enorme de ajudar outras pessoas na mesma situação.

E esse post de hoje nada mais é do que uma pequena forma de agradecimento a todos vocês que vem nos prestigiando, com comentários ou visitas. É muito bom ver que o InPerfeitas vem cumprindo seu papel que é o de desmistificar e ajudar no convívio de pessoas com deficiência. Esse vídeo (uma mega produção feita pela Débora Borsoli!!!!!) faz um pequeno balanço deste ano e do blog nas nossas vidas.
Quero desejar um 2013 iluminado e repleto de realizações, e que possamos contar com a ajuda de vocês para construir um canal de comunicação cada vez melhor! 
Beijos e inté 
=)

video


PS: Quero deixar público o meu agradecimento a Débora Borsoli pela LINDA contribuição nesta publicação. Te amo amiga!!!





sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Débora Borsoli - Em busca da minha mais nova amiga... Parte 1

         Pessoal, hoje eu vou falar um pouco de mim, e sobre algo bem novo que esta acontecendo e quero demais compartilhar com vocês. Eu falei pouco de mim até agora, não é mesmo, acho que as meninas já falaram bem mais delas (risos). Eu era meio encanada mesmo pessoal para falar sobre tudo isso, agora já é natural, e flui tão bem!

         Bom, como vocês sabem, eu sou a unica que não sou cadeirante do grupo das InPerfeitas, porém, tomei uma decisão nesses últimos dias. Vou comprar uma cadeira de rodas. Nós explicamos em um post anterior, que foi escrito pela Wivian, que a Distrofia causa uma lordose lombar, e devido a isso nós cansamos mais ao caminhar. E eu canso muito quando vou a lugares muito longos, como: Shoppings, aeroportos, e etc.

           Vou começar a busca pela minha mais nova amiga, como diz Wivian...(risos). Um amigo meu, o Alessandro Fernandes, do O blog do cadeirante (um blog muito bom por sinal, acessem pessoal..kkkkk) já me indicou um modelo. Minha busca começará logo após o término das festas, e já estou aqui compartilhando com vocês, pois quero que saibam como será o processo todo. Ah e as meninas ( Lú e Wi, estão sendo fundamentais nessa nova etapa, assim como minha mãe, família e meus amigos), só tenho a agradecer a Deus a todas as pessoas que tenho comigo.

               Devem estar ai se perguntando e como você esta com tudo isso? Estou ótima, até melhor do que um dia eu poderia imaginar diante dessa situação. Como vai ser meu primeiro dia com ela, se vou ter alguma sensação? Fiquem tranquilos, eu contar com detalhes para vocês (risos). Na minha família, eu tive dois casos de Distrofia, meu pai e meu tio. Meu pai, demorou muito tempo para aceitar a cadeira, e então depois disse que se soubesse o quanto era bom, teria aceitado antes, e o meu tio, ele nunca aceitou, uma pena, mas não condeno a atitude deles, pois cada pessoa tem seu tempo e sua cabeça. 

                Eu penso bem diferente, pois o que é afinal uma cadeira de rodas? "Uma cadeira de rodas é uma cadeira montada sobre rodas que é utilizada por indivíduos com dificuldade de locomoção (cadeirantes), podendo ser movida manual ou eletronicamente pelo ocupante ou empurrada por alguém". E é exatamente o que é, ninguém precisa se sentir menos por estar utilizando uma, ela não muda nada o que você é ou deixa de ser.  Sabe pessoal, maior do que sua condição física, é o que você é, e isso não é se você tem dinheiro ou não, se é deficiente ou não, é seu caráter, sua dignidade, sua personalidade. Nunca deixe ninguém dizer que você não pode, ou não consegue. Espero que tenham gostado do post, e que acompanhem essa história. Até breve! Beijos


quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Meu Natal e algumas propagandas maliciosas...

Oi Pessoal, com um pouco de atraso venho mostrar a vocês meu natal em família, em duas partes cheio de humor e algumas propagandas "nada maliciosas", que minhas primas fizeram para aumentar a audiência masculina do nosso blog.rsrsrsrsrsrsrsrs. Vocês irão adorar e sem mais conversas, vamos direto ao ponto... vejam!!!

Parte 1 e Parte 2



Desculpem a má qualidade dos vídeos e os palavrões, não consegui melhorar na edição!!rsrsrsr
beijo a todos.........

terça-feira, 25 de dezembro de 2012

Dores, quem não tem não sabe o que é viver...


Se tem algo que é comum a todos os cadeirantes (menino ou menina ) são as dores na coluna, aquela que começa no quadril e vai se alastrando pelo corpo todo, e que além de tirar a paciência acaba com o bom humor. Mas o que fazer com elas?! Não me digam que têm a mesma vontade que eu, arrancar tudo e trocar por uma “peça” nova !!? Pena que isso não é possível (deveriam ter pensado nisso já ou deveriam seguir a mesma lógica dos dentes, quando estivessem gastos poderiam ser substituídos por novos), precisamos aprender a lidar com ela, evitando e mudando os nossos hábitos para garantir uma vida mais saudável e menos dolorida.

Decorrentes de problemas posturais ou por progressão da deficiência, essas dores causam um desconforto muito grande e chegam ao ponto de limitar ainda mais o dia a dia da pessoa. Um acompanhamento médico seguido de exercícios relaxantes e de alongamento diminuem a intensidade das dores, tornando a musculatura mais forte e menos suscetível a lesões. Vira e mexe eu me encontro com dores na coluna. tenho uma BIG escoliose (não é um S qualquer, é um S do SENNA kkkkkkkk) o que muitas vezes me força a reduzir meu tempo na cadeira e ir me deitar. Sei que sou teimosa, não me rendo tão fácil e isso é o que pega, porque termino sobrecarregando =(

Minha fisioterapeuta me dá altos puxões de orelha, diz que preciso alongar mais, buscar uma postura melhor na cadeira já que devido ao meu trabalho preciso ficar um certo tempo sentada, tenho que ver se a altura da cadeira está adequada à mesa, se meus pés estão apoiados no pedal da cadeira. Ela também me falou dos profissionais de T.O (Terapia Ocupacional) que podem nos ajudar muito nas adaptações de cadeira como demais mobiliários, e por aí vai. Como não possuo o conhecimento técnico adequado pra indicar algum tipo de tratamento ou medicação o máximo que posso fazer é dar uma orientação para minimizar as dores e ajudar na adoção de bons hábitos. 



Achei na net umas imagens bem legais sobre melhores posições para dormir e para ficar sentado, são simples e fáceis de fazer. Prometo tentar mudar muita coisa em relação a minha forma de sentar depois disso kkkkkkkkkk Afinal muita coisa para ver e fazer ainda né?!!


Dicas para manter a postura correta por toda sua vida 

  • Durante cada dia, concentre-se em manter suas três curvas naturais da coluna em alinhamento equilibrado 
  • Mantenha seu peso baixo; o peso adicional exerce uma tração para frente constante nos músculos das costas e estica e enfraquece os músculos abdominais 
  • Evite permanecer em uma posição por muito tempo; a inatividade causa tensão muscular e fraqueza 
  • Durma em um colchão firme e use um travesseiro grande o bastante para manter a curva cervical normal. Evite o uso de diversos ou de grandes travesseiros 
  • Exercite-se regularmente; o exercício fortalece e torna os músculos mais elásticos que o mantêm ereto e em uma postura apropriada 
  • Proteja sua coluna usando bons mecanismos do corpo; dobre seus joelhos ao pegar ou colocar algo no chão; carregue um objeto pesado usando as duas mãos e mantendo a carga perto de sua cintura 
  • Use sapatos confortáveis. Evite o uso contínuo de sapatos de salto alto, o que distorce a forma normal do pé e tiram as curvas naturais da coluna do alinhamento 
  • Caminhe com postura correta; mantenha a cabeça ereta com o queixo paralelo ao chão, permita que os braços balancem naturalmente, e mantenha os pés apontados na direção que você vai. 
  • Comece a praticar. Comece seu programa para uma postura perfeita hoje. Se você tiver dificuldades procure um profissional da área como um Fisioterapeuta Rpgista.

 1 De lado

ÓTIMA POSIÇÃO 

Pode ser considerada a melhor posição para dormir porque a coluna fica alinhada e a respiração é tranquila. Praticamente não há contra indicações. O único cuidado é com o tamanho do travesseiro. "Ele deve ter a mesma altura que o ombro para garantir que a coluna fique alinhada", recomenda Alexandre Iutaka. O travesseiro deve ser ligeiramente mais alto do que o de quem dorme de barriga para cima. Ou pode-se também dormir com dois travesseiros, o de baixo de espuma mais firme para sustentar o de cima, de material mais suave, uma vez que ficará em contato com o rosto.


2 De barriga para cima, com travesseiro baixo

BOA POSIÇÃO

Nesse caso o corpo fica bastante reto. O travesseiro serve para alinhar a cervical com o restante da coluna. Os braços podem ser deixados ao lado do corpo ou sobre o abdome. É uma das melhores posições para dormir. "Mas não é indicada para quem ronca muito porque favorece a apneia. Nesses casos, melhor dormir de lado", aconselha Iutaka.

3 De lado, com almofada no meio da perna

ÓTIMA POSIÇÃO 

Além de todas as vantagens de se dormir de lado, a almofada entre as pernas soma ainda mais uma. "Ela evita o contato entre os joelhos e, como diminui a torção da bacia, ajuda a relaxar a musculatura lateral da coxa", explica Alexandre Cristante. É a melhor posição para o sono da gestante. À medida que a gravidez avança, o quadril se alarga e, consequentemente, aumenta a distância entre as pernas. Com a almofada, evita-se o desconforto.
FONTE: http://revistavivasaude.uol.com.br/saude-nutricao/99/artigo221156-1.asp


Espero que tenham gostado e aproveitem as dicas. Mas não esqueçam de ter sempre o acompanhamento médico!!!!
Beijao e inté!!

=)

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

FELIZ NATAL!!!


Olá pessoal, hoje viemos aqui num post breve, mas muito importante.

As Inperfeitas ( Débora, Wivian e Luciana) vem desejar um Feliz Natal a todos. E que possamos nessa noite de Natal refletir sobre o verdadeiro sentido da comemoração desta data: O nascimento de Jesus, que possamos viver conforme a sua vontade e fazer o bem sempre. O Natal é uma época de muita lembranças e recordações, e mais do que tudo, agradecer a Deus por estar sempre conosco e por nos proporcionar o bem maior do mundo: VIVER!

Resolvemos colocar esse vídeo que é muito lindo, e fala tudo o que acabamos de dizer:




FELIZ NATAL!!!!
Grande beijo a todos!

sábado, 22 de dezembro de 2012

A história de Raji



Bom dia gente!! Hoje trago ao blog uma história linda e emocionante de Raji, contada por sua mamãe, Fátima Ribeiro.
Conheci a Fátima, quando estava no estacionamento do laboratório de sangue. Ela estava caminhando e perto dela um lindo cachorrinho, que mais me chamou atenção pelo seu jeito virado de ser...todo ligeirinho e logicamente, por utilizar uma adaptação nas pernas para caminhar. Falei com ela sobre nosso blog e prontamente a convidei para contar a história de Raji, ela foi muito gentil e aceitou.


Fiquei emocionada com tudo, primeiro porque a forma que eles se conheceram foi mágica, coisa de Deus e segundo porque, raramente se vê pessoas boas que se interessam pelo próximo, que cuidam da forma que ela cuida de um animalzinho tão inofensivo. Vocês irão ver o que o Raji faz...gente ele faz fisioterapia...acupuntura e natação! Além de tudo, o Raji já participou de uma matéria no Jornal do comércio, um jornal aqui de Pernambuco, e fez uma participação em um curta-metragem “Som ao redor”, estreia dia 4 de janeiro nos cinemas!!. É mole ou quer mais???? Ele é astro!!! É muito sortudo por ter a Fátima e certamente ela por tê-lo.
Vendo aquele cachorrinho paralítico se virando e fazendo o que queria, superando seus limites, recuperou meu dia, deu um upgrade na minha auto estima e no meu positivismo!
É isso aí...vou compartilhar com vocês este vídeo...e podem ficar apaixonados pelo Raji, eu deixo...;) 

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

A hora é agora ....


Quem me conhece sabe, eu adoro curtir com meus amigos, seja na balada ou em casa eu adoro, e queria contar pra vocês sobre o último show que fui (quando digo último é o mais recente tá, por favor!! Kkkkkkkkkkk). Fui ver a dupla Jorge e Mateus, show que aconteceu no dia 07/12 no Cabanga Iate Clube, numa 6º feira cheia de opções aqui em Recife. Tínhamos no mesmo dia show do Roberto Carlos e do Seu Jorge, sem falar nos outros mil que aconteciam espalhados pela cidade.

O do Rei eu pensei em ir, chorar todas as pitangas e voltar de alma lavada pra casa era um motivo justo e interessante. O do Seu Jorge (que também adoro) eu já fui a três, então nada de muito novo né, mas indico a quem puder ir é muiiiito bom mesmo! E tinha o do J&M, e esse eu tava mega afim, pois já havia deixado de ir a outro devido à superlotação e desorganização do evento, voltei da porta. Arrumei uma amiga que também é fã e compramos os ingressos logo na 2º semana kkkkkkkkkkkk


Os preparativos foram fáceis, sou muito objetiva com roupa e look, já tinha tudo esquematizado na cabeça e no dia foi só pôr em prática. Pegamos minha amiga às 21 horas e fomos em direção ao evento. O percurso foi todo deles kkkkkkkkkkk Jorge e Mateus até enjoar kkkkkkkkkkk Meu irmão falava que estávamos decorando as letras pra não esquecer :p O trânsito estava uma loucura, engarrafamento de horas. Os cambistas correndo atrás do carro querendo comprar os ingressos, e de ver tantos carros na avenida eu pensei seriamente em vender, pensei no tumulto e na confusão pra entrar. E como eu estava só com uma amiga, tensão dobrada né. Conseguimos chegar no Cabanga a meia noite! Uma multidão sem fim do lado de fora, carros e muita gente querendo comprar ingresso. Conseguimos estacionar, e eu e minha amiga partimos para o show.

O acesso foi fácil, o piso irregular e as latinhas dificultaram um pouco, mas nada que impedisse a passagem. Em nenhum momento fomos ajudadas pelos seguranças, achei isso de uma indelicadeza gigante, pois vou a muitos shows e sempre encontro pessoas preocupadas em facilitar a nossa entrada, mas tuuuuuudo bem vamos em frente. Descolamos um lugar seguro e próximo a tudo que interessava, banheiro e bar. Outro cantor se apresentou antes do Jorge e Mateus, muito legal também. Mas o Jorge e Mateus só subiram ao palco lá pelas 2 horas da manhã, a pessoa quase pedindo penico kkkkkkkkkkkkkkk, mas gritei, dancei e cantei (afinal era pra isso todo o esforço e produção né kkkkkkkkk). Engraçada a reação das pessoas ao me verem em shows, alguns me olham e pensam que sou louca por estar no meio da multidão, tipo “o que essa garota tá fazendo aqui!? Isso é um fogo danado viu” , mas tem outras que olham com admiração e vem conversar comigo. E nesse show eu fui abordada por dois rapazes, cada um devidamente acompanhado por suas namoradas (ohhhh sina viu!). O primeiro estava preocupado em saber se eu estava vendo o show, e me guiou pra um local melhor e mais seguro. Tirou foto comigo e a minha amiga, super gente boa. Veio me confidenciar que estava a pulso ali, que a namorada o obrigou a ir kkkkkkkkkkkkkk O segundo veio cheio de cerimonia, perguntando se podia falar comigo kkkkkkkkkkkk disse que morou por 14 anos no exterior e que há pouco tinha voltado para o Brasil, e quando me viu lembrou-se da maneira como as pessoas com algum tipo de limitação são tratadas lá fora e comparou ao “jeitinho brasileiro”. Disse que ficou feliz em ver que apesar da pouca estrutura do local, eu tive acesso e pude curtir o show, concordei com ele e falei que as mudanças só podem ser feitas se o publico em questão se tornar mais presente, e com isso a acessibilidade vai se tornar algo comum e não novidade.
Curti o show até às 5 horas da manhã, foi tudo muito bom!!!!! Saldo da noite, nenhuma confusão ou tumulto (ponto positivo), não tinha banheiros adaptados ou qualquer outro tipo de lugar acessível (ponto negativo e de melhoria), muita gente bonita (muitos gatos ++++++) sem nenhuma abordagem masculina solteira interessante (ponto não muito positivo, mas nem por isso deixei de curtir :p).

Fica aqui o recado para vocês pessoas interessantes e que como eu também gostam de sair, mas que ainda não se sentem seguros: saiam de casa, se mostrem. Deixem que as pessoas vejam e aprendam a lidar com as limitações, e percebam que não é nenhum bicho de sete cabeças. Temos o dever de viver bem, temos o direito ao lazer, mas precisamos brigar por nosso espaço. Afinal quem não chora não mama né!? Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk


Beijão e inté mais
=)


quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Motivação, força que nos inspira!!!


Olá pessoal, hoje eu vim trazer algo que tem acontecido em minha vida, pode até parecer meio bobo, mas estou tão animada, ou melhor, motivada (risos).  Eu prestei vestibular para Ciências Contábeis, e passei, o resultado saiu hoje. Tudo bem que é uma faculdade privada, mas não importa, continuo entusiasmada do mesmo jeito, e o ano de 2013 vai ser um ano de muitos objetivos e conquistas. É muito bom começar uma faculdade, algo novo em minha vida. Estou feliz demais, e queria dividir essa conquista com vocês. Sei que vou enfrentar algumas barreiras físicas, mas isso é o de menos agora.
E aproveitando esse assunto, eu vou falar um pouco sobre a palavra que eu usei no paragrafo anterior “MOTIVAÇÃO”.
A motivação é algo que vem do nosso interior, e ela pode mudar muitas coisas. Os nossos objetivos mesmo, eles só vão em frente se tivermos motivados, não é mesmo?! Se tiver algo que nos empurre e nos leve a querer caminhar e caminhar em busca de nossos sonhos.

Dicas para manter-se motivado

1. Seja a sua própria rocha – O caminho certo é ter uma leitura adequada dos desafios. Se você olhar as situações como problemas ficarão paralisados, mas se enxergá-las como um desafio irá considerá-las como uma etapa e ficará estimulado a reagir de maneira mais apropriada.

2. Se veja como um atleta corporativo – Os atletas de alta performance também treinam no campo mental (além das simulações).Visualizam como seria uma competição ideal, formulam as situações mais difíceis e fantasiam como irão lidar com ela.

3. Se prepare para o fracasso, mas se surpreenda com o sucesso – Muitos profissionais não consideram a possibilidade de dar tudo errado. Não se esforçam nos primeiros clientes ou nos primeiros dias do mês porque acreditam na virada. Basta constatar que a maioria das empresas bate suas metas "no final do segundo tempo”.

                   Portanto, todos podemos, e vamos nos motivar cada vez mais. Imagine uma história para sua vida, e acredite nela.  Eu vou deixar para vocês um vídeo incrível, muito legal, é motivação total, não preciso nem descrever. Até breve. Beijos


video

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Meu final de semana com amigos especiais!

Oi gente, estou aqui novamente para mostrar em vídeo como foi todo meu final de semana! Recebi visitas de crianças, fui a confraternização da clínica onde faço fisioterapia, passeei com Lipe e as crianças e fui comemorar o aniversário de minha amiga fifi, Lúcia Cavalcanti. Estive com amigos muito especiais!! Vocês irão perceber no vídeo, que tratar a curiosidade de uma criança com naturalidade e respeitando suas dúvidas é a melhor saída para uma sociedade inclusiva, na minha opinião!

Um abraço e assistam o vídeo...



terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Acessibilidade no mercado de trabalho parte 2


Existe o viés legal para a entrada da pessoa com deficiência no mercado de trabalho, mas o que ainda dificulta é a falta de conhecimento técnico. A defasagem escolar, a falta de cursos complementares e a inexperiência são pontos negativos muito comuns a esse grupo de pessoas.

A dificuldade no acesso a educação, seja por barreiras geográficas (localização e arquitetônicas), financeiras e/ou sociais, faz com que muitos deixem de frequentar as escolas regulares os obrigando a optar por telecursos perdendo o convívio social e as demais oportunidades. Mesmo com a Lei de Cotas (LEI Nº 8.213, DE 24 DE JULHO DE 1991), as organizações conseguem afunilar ainda mais a entrada, utilizando uma "brecha" que possibilita interpretações do termo DEFICIÊNCIA, aceitando candidatos que possuam QUALQUER doença enquadrada no CID (Código Internacional de Doenças). Não estou aqui querendo dizer quem é mais deficiente, só quero ser justa. Não acho correto alguém que possui uma "anomalia estética" usar desse direito e tirar a chance que uma pessoa com limitações de verdade.

LEI Nº 8.213, DE 24 DE JULHO DE 1991, lei de contratação de Deficientes nas Empresas.  Lei 8213/91, lei cotas para Deficientes e Pessoas com Deficiência dispõe sobre os Planos de Benefícios da Previdência e dá outras providências a contratação de portadores de necessidades especiais.Art. 93 - a empresa com 100 ou mais funcionários está obrigada a preencher de dois a cinco por cento dos seus cargos com beneficiários reabilitados, ou pessoas portadoras de deficiência, na seguinte proporção:- até 200 funcionários.................. 2%- de 201 a 500 funcionários........... 3%- de 501 a 1000 funcionários......... 4%- de 1001 em diante funcionários... 5%
A Lei é muito clara, é obrigação da empresa cumprir seu papel social e incluir nelas pessoas dispostas e que se enquadrem no perfil da vaga e que estejam aptas a executa-las. Além de cumprir seu papel social a empresa recebe benefícios fiscais, a contratação passa a ser duplamente positiva. Várias pesquisas mostram que funcionários com algum tipo de deficiência se mostram mais comprometidos e dedicados (toda a regra há a sua exceção mas no geral é assim), o ambiente de trabalho se torna mais humanizado pois as pessoas passam a se tratar como equipe. Hoje existem empresas interessadas nesse "novo" profissional, seja pra cumprir suas cotas ou por saberem que se trata de um diamante bruto que só precisa de uma lapidação para que possa mostrar seu real valor.

A qualificação é além de diferencial uma necessidade, e pra isso a internet vem com uma ajuda muito grande. Já é possível aprender um idioma sem custo e sem sair de casa, vídeo-aulas de informática, mini cursos profissionalizantes oferecidos por Bancos, Faculdades e Entidades privadas, basta correr atrás e não perder tempo se lamentando. Sempre faço cursos online, estou em constante aprendizado. Além de me fazer sentir viva engorda meu currículo kkkkkkkkkkk
Vou deixar aqui alguns links dos cursos que acesso e da Lei de Cotas. Briguem por seus direitos mas nunca esqueçam que é nosso DEVER mostrar do que somos capazes, diferente dos produtos, não temos rótulos ou manuais de instrução. Não tenha vergonha da sua limitação, encare-a e aceite ajuda, todo mundo um dia vai precisar também!!
Beijos e inté

=)

Promessa é dívida! Links úteis:

http://livemocha.com/   Curso de idiomas
http://www5.fgv.br/fgvonline/  Cursos de extensão
http://www.ead.sebrae.com.br/hotsite/cursos/  Cursos Técnicos e de extensão
http://sistema-de-cotas.info/mos/view/Portadores_de_Necessidades_Especiais/   Link da Lei de Cotas

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Como surgiu o nome do blog?!


Muitas pessoas estão achando que escrevemos errado o Inperfeitas, que o certo seria imperfeitas, calma pessoal, nós não cometeríamos uma gafe tão grande (risos), o nosso português é um pouquinho melhor que isso (risos). Então vou contar como surgiu a ideia do nome do blog.  Estávamos procurando um nome, e realmente foi difícil escolher um nome que tivesse a nossa cara, nosso jeitinho, foi ai que numa busca louca encontramos o iMperfeitas, inicialmente achamos bem legal, mas a Wi deu a sugestão do iNperfeitas, o que seria então esse INPERFEITAS.

InPerfeitas = In de inclusão, estar por dentro.
Por isso o fato de ser In e não Im.









Nós queríamos deixar claro a ideia do nosso blog, que é incluir todas as diferenças.

Inclusão social é um conjunto de meios e ações que combatem a exclusão aos benefícios da vida em sociedade, provocada pela falta de classe social, origem geográfica, educação, idade, existência de deficiência ou preconceitos raciais.
Inclusão Social é oferecer aos mais necessitados oportunidades de acesso a bens e serviços, dentro de um sistema que beneficie a todos e não apenas aos mais favorecidos no sistema em que vivemos. Nossa cultura tem uma experiência ainda pequena em relação à inclusão social, com pessoas que ainda criticam a igualdade de direitos e não querem cooperar com aqueles que fogem dos padrões de normalidade estabelecidos por um grupo que é a maioria. E diante dos olhos deles, também somos diferentes. E é bom lembrar que as diferenças se fazem iguais quando colocadas num grupo que as aceitem e as consideram, pois nos acrescentam valores morais e de respeito ao próximo, com todos tendo os mesmos direitos e recebendo as mesmas oportunidades diante da vida.
.
Pessoas com necessidades especiais no Brasil


A inclusão social orientou a elaboração de políticas e leis na criação de programas e serviços voltados ao atendimento das necessidades especiais de deficientes nos últimos 50 anos. Este parâmetro consiste em criar mecanismos que adaptem os deficientes aos sistemas sociais comuns e, em caso de incapacidade por parte de alguns deles, criar-lhes sistemas especiais em que possa, participar ou "tentar" acompanhar a ritmo dos que não tenham alguma deficiência específica. Tem sido prática comum deliberar e discutir acerca da inclusão de pessoas com algum tipo de deficiência: mencionando direitos inerentes a uma deficiência específica, abrangendo todos os direitos de forma generalizada, embrulhando-os, sem maiores cuidados em mostrar detalhadamente estes.
Assim a sociedade modificará em suas estruturas e serviços oferecidos, abrindo espaços conforme as necessidades de adaptação específicas para cada pessoa com deficiência a serem capazes de interagir naturalmente na sociedade. Todavia, este parâmetro não promove a discriminação e a segregação na sociedade. A pessoa com deficiência passa a ser vista pelo seu potencial, suas habilidades e outras inteligências e aptidões.

Portanto, espero que todos reflitam sobre a nossa missão e o que significa a Inclusão para a sociedade. Até breve. Beijos




domingo, 16 de dezembro de 2012

Ninguém merece carro andando na calçada!

Oi pessoal, ontem fui conhecer o tão falado shopping Rio Mar... E diga-se de passagem shopping é tudo igual, não vi nada demais...Fui comemorar o aniversário de uma grande amiga minha, fifi...Lúcia Cavalcanti. Foi massa, inclusive fiz um vídeo mostrando a comemoração e irei postá-lo  na quarta!
Porém, o assunto que trato aqui hoje é sobre mais um ninguém merece e esse merece sim um post em especial!
Estávamos esperando meus pais virem me buscar no horário combinado, e ficamos do lado de fora do shopping, na entrada principal, vou postar a foto do local...

 


Então de repente um carro sobe a calçada onde estávamos conversando. Eu, amaury e fifi, cadeirantes, tivemos que nos afastar, senão ele batia na gente. Fico imaginando se tivessem crianças por ali...absurdo! Calçada não foi feita para carros passarem!



Absurdos assim acontecem rotineiramente...:(

Boa semana pessoal...bjão
 

sábado, 15 de dezembro de 2012

Acessibilidade no mercado de trabalho


O termo acessibilidade tão debatido aqui no blog, não se resume apenas a rampas, banheiros adaptados, vagas exclusivas, mas sim a igualdade no acesso ao lazer, aos estudos, a saúde, e ao tão sonhado mercado de trabalho.

Desde que me entendo por gente gostei de ter a minha graninha, fosse pra comprar doces, revistas e as minhas tão amadas canetas (era viciada em canetas coloridas, tinha coleção e tudo kkkkkkk). Dei aula particular em casa por um bom tempo, era uma farra. Tive a sorte de ter alunos dos tipos mais variados, de um matutinho do interior até um aprendiz de surfista. Me chamavam de Tia Wivian kkkkkkkkkkkkk Depois dessa fase “professorinha” parti para o artesanato, fazia bijuterias, bonecas, tapeçaria, pense numa pessoa prendada kkkkkkk me virava como podia, mas sempre sonhando em trabalhar em uma empresa de verdade, ter uma carteira assinada.

Quando entrei na faculdade, minha visão se expandiu e vi inúmeras possibilidades. Tive a sorte de encontrar uma pessoa que viu meu potencial e logo me chamou pra trabalhar na empresa dela, um Petshop. Fiquei lá por 7 anos, cada dia era uma coisa nova. Comecei organizando os documentos e depois fui ganhando meu espaço. Trabalhei numa equipe que só tinha homens, e a minha chegada foi bastante festejada e comentada. A minha gerente teve o cuidado de prepara-los, dizendo que iria chegar uma pessoa capaz e que somaria a equipe, e que o que eles veriam é uma imagem diferente do realmente é. Pediu gentileza e que me ajudassem no que minhas limitações me impedissem, e assim foi feito. Cheia de ideias e vontade eu fiz o meu melhor, deixei a minha marca e fiz amigos.
Mesmo trabalhando lá, eu não parava de sonhar grande, enviava meus currículos e participava de vários processos seletivos. E nesses processos vi como a área de Recursos Humanos é deficiente, o quanto está despreparada para esses novos profissionais. Falo isso de boca cheia, pois faço parte dos dois papeis, sou mão de obra qualificada e também sou profissional de Rh, é tanta coisa absurda de empresas grandes que indignam de verdade. 

Fiz seleções pra vários segmentos diferentes, mas com testes específicos, entrevistas (até em inglês tá!!! Te mete com a pessoa kkkkkkkkkkkkkkk), dinâmicas de grupo .... Enfim todo o processo chato, mas de todas que fiz três me marcaram.  A primeira, foi uma multinacional do ramo alimentício, me fez passar por entrevistas em inglês com os gerentes de marketing, de recursos humanos e por fim com o regional. Criei uma “campanha de lançamento de um produto” para demonstrar criatividade, passei pela perícia médica deles, com o Dr Formiga (ele veio do Paraná pra me ver de confirmar minha aptidão ao cargo). Por fim, ouvi o “aguarde nosso retorno”, a reposta que recebi foi que meu currículo é ótimo, sou muito qualificada MAS que a matriz no Paraná não autorizou as adaptações no layout da empresa. Resumo, não fiquei. A outra marcante foi para um hospital de referência no cuidado materno infantil aqui em Pernambuco, e fez uma seleção para vários tipos de deficiências. Cheguei num prédio com escadas e sem aviso nenhum, quando entrei na sala vi um amontoado de pessoas e num birô a Dra Psicóloga. Vi que tinha além de deficientes físicos, alguns deficientes visuais, auditivos e mudos também. Quando as apresentações começaram, não vi nenhum profissional interprete de sinais. Me senti péssima com a situação, os meninos tentando emitir algum som pra que pudessem ser compreendidos, ninguém conseguia entender ou se mostrava revoltado com a situação. A tal Dra Psicóloga sorria, dizendo  “prometo que da próxima vez vou aprender pra ajudar vocês” ..... eu fechei a cara e esperei pra ver até onde este circo dos horrores iria. Na redação eu me soltei, esqueci a vaga e soltei o verbo. Critiquei a atitude da equipe de Rh, perguntei se realmente sabiam o que estavam fazendo, se percebiam o constrangimento e a exposição que estavam fazendo com os candidatos, que se em um processo seletivo de uma empresa a equipe recrutadora, que é a porta de entrada e fachada, não é capaz de mostrar o mínimo de respeito pelos candidatos a empresa em si também não é. Se meu currículo me abriu portas para essa vaga a minha redação as fechou com cadeado kkkkkkkkkkkkkkkk mas GRAÇAS A DEUS!! A terceira experiência (não a última kkkkkk) foi para uma indústria alimentícia (tenho cara de fominha!? Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk). Fiz a seleção exclusiva para deficientes, fui pré-selecionada e pediram que eu aguardasse a convocação. Esperei por 2 anos, quase um concurso público, e a proposta foi pra lá de indecente. Eu trabalharia ½ expediente, apenas 4 dias por semana, receberia ½ salário e na minha carteira já teria além da data de contratação a data de desligamento (que seria de 1 ano), minha resposta foi não.
Hoje trabalho como prestadora de serviço para uma secretaria de assistência social, é algo totalmente novo e desafiador. Preciso me cercar de Leis, Decretos e Resoluções para poder argumentar sobre qualquer entidade ou serviço assistencial (mega chique né kkkkkkkkkkkkk). Mas AINDA não me realizei, adoro o que faço e sempre faço o melhor. Tenho uma sede muito grande por desafios!!!! 

O que posso afirmar é que oportunidades existem sim, aos montes, mas faltam pessoas qualificadas tanto para fazer a captação quanto para ser contratadas. A acessibilidade no mercado de trabalho ainda é um tabu, muitos sabem dos direitos e deveres, mas não conseguem aplicá-lo. De um lado as empresas argumentam que há falta de candidatos qualificados e que o custo para adaptar a empresa são altos, do outro se ouve a queixa de uma mão de obra nem sempre tão qualificada (coisa que ninguém é por completo), mas com muita vontade e habilidades ainda não trabalhadas.

Esse assunto é GIGANTE e pra não tornar cansativo nem deixar de mencionar os aspectos legais, vou dividi-lo em 2, e durante a semana vou colocando mais coisas interessantes.
Beijos e inté
=)

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Experiências e valores!


Nesse post, eu vou abordar com vocês a importância de ter ao lado, pessoas com experiências de vida parecidas com a nossa. Há algum tempo atrás eu praticamente não falava sobre minha limitação (distrofia muscular), tinha vergonha, medo, sentimentos desse tipo. Hoje posso dizer que isso já passou, falar é muito bom, pois além de você expor o que sente, pode passar experiências de vida para outras pessoas. Conheci pessoas maravilhosas, com experiências incríveis, e nós chegamos à conclusão de que se nos unirmos na busca de informações tudo fica mais fácil e leve.

Vou colocar uma história muito legal, espero que gostem, ele foi uma das inspirações na criação do nosso blog, o nosso amigo Alessandro Ribeiro Fernandes.
“Quando fiquei paraplégico em julho de 2006, um mundo totalmente novo se impunha em minha vida. Eu não tinha a opção de não viver aquela condição, que uma lesão medular me obrigava a descobrir. Antes dela, que foi causada por um acidente de moto, minha vida era extremamente ativa e movimentada.
Eu morava em Florianópolis, para onde me mudei com o objetivo de fazer mestrado em finanças, um sonho antigo que eu havia conseguido realizar. Eu tinha 32 anos e estava só estudando, voltando a uma vida que eu soube curtir muito na graduação: a de estudante. Depois das aulas e do estudo eu ia para bares, festas, e nos fins de semana para boates. Ia para a universidade de bicicleta, com a qual fazia trilhas nos fins de semana. Conheci um grupo de trekking, outro esporte que iniciei nesta época.
Alessandro criou o Blog para ajudar pessoas que
 passam pela mesma dificuldade enfrentada por ele
E, de repente, nas primeiras férias do mestrado, vim para Minas Gerais ver os pais e amigos, e no fim das férias sofri o fatídico acidente que me deixou paraplégico. Me vi paralisado do peito para baixo em uma cama de hospital sem perspectivas de voltar a andar. Nem de voltar para Floripa, nem para o mestrado, nem para os amigos que deixei na ilha. Qualquer pessoa normal se desespera em uma situação dessas, mas devido ao meu otimismo e bom humor, não me deixei abater. Percebi que não havia nada que eu pudesse fazer, a não ser aprender a lidar com aquela nova situação.
A primeira coisa que me veio à mente foi a internet. Muitos diziam, e ainda dizem, que se encontra de tudo por lá. Mas em 2006 ainda não era bem assim. Informações técnicas, estudos acadêmicos, recomendações médicas, isso eu encontrei. Mas dicas sobre o dia a dia, relatos de pessoas que estavam na mesma situação e recomendações para não entrar cair em armadilhas que o mundo nos impõe, isto eu não achei. Tive que me virar sozinho e descobrir que muita coisa precisava ser feita para que um cadeirante vivesse bem e com dignidade na sociedade moderna.
Depois de dar muita cabeçada e sofrer com a falta de estrutura que há nas cidades, resolvi criar um blog em 2009. Na época já haviam algumas iniciativas parecidas, outros cadeirantes e deficientes começavam a contar suas histórias, e descobri aí uma fonte muito rica de informações e contatos para que busquemos nossos direitos e formas de viver melhor com uma deficiência. Fiz bons amigos pela grande rede, fui ajudado e ajudei muita gente que, assim como eu, estava descobrindo um mundo novo, com limitações e peculiaridades que a grande maioria das pessoas desconhece completamente.
Hoje percebo a importância dos blogs nos depoimentos que recebo de pessoas que estavam perdidas e se encontraram nos meus relatos e dicas, e puderam se preparar para viver da melhor forma possível, contornando os enormes obstáculos que há quando as limitações aparecem em nossa vida sem aviso. E, principalmente, sem manual de instruções.
(*) Alessandro Ribeiro Fernandes, coordena o Blog do Cadeirante.


Portanto, expor, trocar ideias com pessoas, tendo elas deficiências ou não, acrescentam muito para qualquer individuo. Tiveram pessoas que nem imaginam que me ajudaram demais. Vou até contar uma breve história para vocês, uma vez, eu fui á um salão de beleza, fazer um tratamento no meu cabelo, na época eu não falava sobre o assunto, aliás, fingia que nada acontecia, que estava tudo normal. Foi então, que o cabeleireiro me perguntou o que eu tinha, e nunca ninguém havia me perguntado antes, na hora fiquei sem saber o que falar, porém tudo saiu de maneira espontânea e leve, ou seja, foi o pontapé inicial que eu nem sabia que estava acontecendo. Contei a ele minha historia, e ele achou natural, inclusive, me incentivou a procurar tratamento, médicos e etc. Foi então que eu passei a olhar pra mim e ver a real situação, e isso foi maravilhoso, me aceitei, e me valorizei da maneira que eu sou. Uma mulher batalhadora, sonhadora, guerreira e que sabe o que quer da vida. E que venham novas pessoas, novas experiências, a serem vividas, é isso que esperamos. Até breve! Beijos