segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Adeus ano velho, feliz ano novo!!!

Olá pessoal, estamos meio ausentes, mas eu não poderia deixar de vir aqui para um último post. Para poder compartilhar um pouco do meu 2014. Uma retrospectiva, um pouquinho de tudo que aconteceu comigo.


Meu 2014 começou um ano como outro, cheio de gás, de sonhos, de planos. Alguns conclui, outros estão a concluir.
Consegui comprar meu carro, algo que eu queria muito, depois de passar por todo aquele processo da alteração da minha CNH para CNH especial, que vocês puderam acompanhar por aqui. Algo material, mas que fiquei muito feliz por conquistar. 
Finalizei mais um ano da minha faculdade, agora metade do ciclo já foi concluído, faltam apenas 2 anos, não imaginei que isso me deixaria tão feliz, somente pelo fato de estar disposta e motivada para a caminhada dessa jornada em minha vida. Jornada que me faz me sentir capaz, feliz, realizada.
Estou cuidando de mim, da minha saúde mental, física e espiritual, e pretendo continuar, isso faz um bem danado.
Reencontrei pessoas (a minha linda Lú, foi um reencontro lindo, e emocionante, é sempre lindo e mágico estar com você amiga <3), velhos amigos, colegas, pessoas queridas, amizades pra vida inteira (não vou citar os nomes, mas todos que estiveram comigo, saibam que amo vocês...rsrsrsrs). Outras pessoas saíram de vez da minha vida, é o processo, você precisa abrir o coração e tirar tudo que não pode mais ocupar o lugar lá, para que coisas melhores possam acontecer com você. 


E foi assim comigo, depois que eu realmente lavei a alma e abri meu coração, coisas aconteceram, conheci uma pessoa especial, uma pessoa que está me fazendo muito bem, pessoa que está somando muito comigo em todos os sentidos, estamos aprendendo juntos, crescendo juntos e eu só tenho a agradece-lo por tudo que temos vivido juntos.


Enfim, cai, levantei, sorri, chorei, mas o que seria de nós se não pudéssemos viver, cair e levantar quantas vezes forem necessárias, mas nunca deixar de acreditar em um sonho, uma meta traçada.
Posso dizer que meu ano de 2014 está se encerrando com chave de ouro, tendo comigo pessoas que amo e que vou levar pra vida inteira em meu coração. 
E para 2015?
Já que estamos encerrando um ciclo, faça novos sonhos, dedique-se a ele, dê o máximo de você, se joga no que você acredita, porque a vida está ai, e ninguém pode viver pra você. Faça planejamentos, trace novas metas, isso dá motivação, uma luz para você ir além. Se der medo, vai com medo mesmo, pessoas pra te dizer que você não consegue...ahhh, terão muitas, mas ninguém disse que seria fácil. A vida é uma arte, seja um grande artista da sua vida! 
Que 2015 seja maravilhoso, repleto de paz, saúde, amor! E todos seus sonhos se realizem!!!! Até a próxima! Beijos




domingo, 21 de dezembro de 2014

I Encontro LivreMente: Todos Iguais na Diferença

No último dia 17 de Dezembro ocorreu no paço alfândega o evento inclusivo I Encontro LivreMente, todos iguais na diferença, e o inPerfeitas não poderia deixar vocês de fora!!

Foi ótimooo!!!!

Vejam o vídeo, do evento, na íntegra!


quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Inclusão escolar a partir de um outro ângulo

Olá, pessoal!
Vim aqui falar de um assunto muito presente em Seminários, Palestras, Livros, na Constituição Federal e na Lei de Diretrizes e Bases. Entretanto, apesar de ser algo tão sério surgiu aqui a partir de uma conversa bem engraçada entre mim e minha amiga Luciana. Com certeza vocês já estão ficando curiosos, né?!Ou estão nos achando duas doidas! Afinal de contas, que assunto é esse?
Bem antes de responder, me chamo Cláudia, moro em Caicó-RN,  sou professora há 08 anos em uma escola da Rede Pública Estadual e conheci a Luciana, através do blog. E a partir daí nos tornamos amigas virtuais e diariamente trocamos dicas e informações que vão desde o valor e a cor do batom, que está na moda, até os valores das ações na Bolsa de Valores de São Paulo, da empresa que produz o batom. (rsrsrsrs...) E foi numa dessas conversas que comentei para a Luciana, a questão da inclusão escolar a partir de um outro ângulo, ou seja, são as crianças sem deficiência que lidam diariamente com uma professora com deficiência. E ela pediu para que eu contasse, aqui, para vocês.

Bem geralmente, os alunos a primeira vez que me encontram circulando pelos espaços da escola ficam com aquela cara de espanto. Achando que sou  um E.T (extraterrestre). Isso é normal, afinal de contas tudo que se encontra fora do padrão e que é diferente chama a atenção, “incomoda”. Mas, depois do primeiro choque vem o primeiro contato acompanhado de perguntas do tipo:
 



Criança: Tia, você sofreu um acidente?

Eu: Não, tia nasceu com uns sistos na medula que gera fraqueza nos músculos do corpo.

Criança: Tia por que você usa isso para andar?
Eu : Isso são as minhas Coleguinhas. E elas servem para que tia possa se apoiar nelas, aumentando o meu equilíbrio.

Criança: E por que esse nome, Coleguinhas?

Eu: Uma  Colega é aquela pessoa que está sempre nos fazendo companhia, né?! Daí eu escolhi esse nome, pois elas estão sempre comigo.




E se vocês pensam que as histórias engraçadas acabaram ,aqui, sinto muito em informá-los. A criançada quer saber muito mais. Só para vocês terem ideia um dia, minha irmã chegou nocarro para me pegar. E olha a pergunta de uma das crianças: “Tia, ela é sua mãe?” Pequeno detalhe, minha irmã é mais jovem que eu.

Outra pergunta que sempre se repete é se eu sou casada. E quando digo que não, eles perguntam a minha idade. E quando falo surgem as mais variadas reações, entre elas: “Tia você tem a idade da minha mãe e ainda não é casada?!”; “Vixe, tia você aparenta ser bem mais jovem!” É importante, destacar que para as crianças  “ser adulto” é ter um trabalho, ser casado (a) e ter filhos.  E foi seguindo essa lógica de pensamento que  há poucos dias fui surpreendida, com as seguintes perguntas:


Criança: Tia, você tem filhos?
Eu: Não.

Criança: E por que você não tem filhos?
Eu: Porque não sou casada

Criança: Mas, para ter filhos não é preciso ser casada.

Moral da história: 
No momento que crianças sem deficiência passam a conviver com uma pessoa com deficiência, a deficiência é minimizada.  E essas crianças acabam percebendo  o quanto somos pessoas úteis e produtivas ao ponto de podermos trabalhar, casar e ter filhos. Ainda é importante lembrar que as crianças de hoje, serão amanhã nossos futuros gestores, (prefeitos, vereadores, deputados, diretores de empresa), os quais vão elaborarpolíticas públicas integradas e permitirão a ativa participação das pessoas com deficiência no desenvolvimento do Brasil. Enfim, a educação é oúnico meio responsável pela formação de um país mais justo para todos.

domingo, 12 de outubro de 2014

Inacessibilidade Eleitoral

Passada a "euforia" da corrida eleitoral, cheia de debates acalorados e em alguns casos cômicos, caímos num segundo turno. Tá certo que isso já era esperado mas eu ainda tinha uma pontinha de esperança que tivéssemos uma decisão logo no início, não deu. 

Mas não é sobre isso que quero falar com vocês hoje, o que quero dividir é a minha indignação pois até no momento em que somos OBRIGADOS (isso mesmo obrigados, inventa de não votar pra você ver o tamanho da confusão e mais burocracia que você vai enfrentar)  a exercer o nosso direito a democracia, somos impedidos pela falta de acessibilidade do local. Eu e a Luciana enfrentamos dificuldades na hora de votar, e vamos contar como foi.

Projeto de Inacessibilidade
Ontem fui votar a tarde na esperança de ter pouca gente, mas acho que as outras pessoas também pensaram igual a mim ... Enfim, fui com o Filipe (meu namorado) e minha mãe, e pelo caminho aquela sujeira habitual que os candidatos sequer se preocupam, esquecem que esta é a cidade que eles estão "brigando" para administrar (mas deixa isso pra lá que não é a questão X de hoje ok!). Chegando lá no colégio onde voto, que fica na rua atrás da minha casa, vi que minha seção tinha mudado de local, e essa mudança não foi legal. Colocaram a minha seção no final de um corredor onde um gênio da arquitetura moderna, projetou uma rampa que não serve nem pra descer de skate ou qualquer outro objeto que tenha rodas. E no final dessa rampa, tinha uma parte reta, acho que uns 30cm de largura e na porta da sala tinha um degrau alto. Gostaram do detalhe do corrimão? Só funciona até a metade da rampa. Como eu estava com o meu namorado subi, a rampa era muito inclinada mesmo, precisava de força. Ele procurou o chefe da seção, explicou meu caso e reclamou da falta de acessibilidade. Nessa hora um mesário e um eleitor que estavam na fila ofereceram ajuda para subir a minha cadeira, e só assim consegui entrar e sair da seção. Tirei foto para registrar e poder mostrar que não é apenas uma rampa que facilita o acesso, essa rampa precisa ter uma inclinação própria e com medidas já estabelecidas pela ABNT, e o site disponibiliza o download do modelo padrão não apenas para a rampa mas para várias adaptações necessárias para facilitar o deslocamento das pessoas com deficiência ou com algum tipo de limitação.

Hoje procurei entrar em contato com o TRE do meu estado, Tribunal Regional Eleitoral, para encontrar algum canal de reclamação/denúncia onde eu pudesse prestar minha queixa. E encontrei a Ouvidoria, sugiro para que quando algum de vocês tiverem o seu direito ferido por órgãos públicos que procurem a ouvidoria ou a defensoria, eles são o canal mais rápido de resposta e de reparação. Preenchi um formulário, relatando o ocorrido e o cenário da minha seção, não satisfeita eu também liguei pra lá. E depois de várias tentativas consegui que me atendessem, informei que tinha feito a reclamação no site e a senhora que me atendeu falou que iria encaminhar a minha queixa para o cartório eleitoral da região "Pois é obrigação deles disponibilizarem locais acessíveis para que todos possam exercer o seu direito", isso foi ela quem falou viu! Palavras bonitas que só funcionam pra humanizar discursos, a realidade é bem diferente. Ainda durante a tarde de hoje, eu recebi uma resposta do TRE, o Desembargador e Ouvidor do TRE/PE, informou que minha solicitação foi encaminhada para o cartório da minha seção para que as devidas providências sejam tomadas. Ponto positivo para a Ouvidoria! Agora é só torcer para que no dia 26/10 a minha seção tenha sido relocada. Aproveitei e fui pesquisar na internet esse tema, e vi que esse desrespeito acontece mais vezes do que imaginamos, são noticiados em vários meios de comunicação e mesmo assim não são solucionados. No site do TSE, Tribunal Superior Eleitoral, encontrei algumas dicas úteis, tanto para nós usuários como para quem tem o poder de melhorar a situação (engraçado isso né, eles mostram como deve ser feito e não o fazem. Porque hein!?). Resolveria de fato se houvesse o interesse e preocupação por parte destes órgãos de montar um cadastro de eleitores com algum tipo de limitação, e disponibilizar seções especiais onde esses eleitores pudessem exercer sua cidadania sem constrangimento ou maiores problemas. No final eu vou deixar os links de onde você pode procurar ajuda, de qualquer canto do país, e ter o seu direito garantido!

O mesmo aconteceu comigo, Luciana Marques, e minha mãe,  Adelaide Marques. Como alguns leitores já sabem, eu e minha mãe temos distrofia muscular,  eu cadeirante e minha mãe andante, com reduzida mobilidade. Sempre votávamos em uma zona eleitoral que não era a das mais acessíveis, mas por ser praticamente do lado de casa continuávamos. Na eleição passada tinham colocado rampa e estava melhor o acesso. Daí chego esse ano para votar e o que acontece? Mudam o local da minha zona eleitoral, e para chegar mais parece um labirinto... cheio de armadilhas para cadeirantes e pessoas com mobilidade reduzida, como vocês podem ver nas fotos. Falta de respeito com o eleitor/ cidadão! NOTA ZERO------> TRE-PE





Como eu havia prometido, seguem os links que podem auxiliar em qualquer canto do país.




Beijos e inté mais

=)

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Aniversário do Rick!!!


Neste último sábado foi a comemoração do aniversário do nosso grande amigo Ricardo Oliveira Ramos e acredito que grande parte dos leitores o conheçam, pois ele já é figurinha carimbada aqui no inPerfeitas!! :))) Viajei para Brasília para comemorar esse dia tão especial com ele!!

Matérias com o Rick:

Para mim, conhecer uma pessoa como o Ricardo é acima de tudo uma grande sorte! Além de amigo, tenho nele um exemplo de ser humano! E por esse motivo acho importante cada um de vocês o conhecerem e sentirem essa felicidade e força ao ver seu sorriso. Gravei para vocês a festa de pirata do Rick, onde ele recebeu seus amigos ;) 

Se divirtam com o vídeo e deixo aqui uma mensagem para esse meu amigo tão especial :

Amigo,

Estamos distantes e ao mesmo tempo tão 
perto...
A amizade que nos une pode vencer todas as 
distâncias.

Ela sim é mais forte que o tempo. Ela sim 
poderia atravessar 
a imensidão do espaço e transcender os limites 
da vida.

Sim... Como ela é forte, pois essa amizade nada 
nem ninguém 
destruirá. Que perdure enquanto nossas almas 
existirem... 

Que nem a distância, nem o tempo e nem 
mesmo 
os nossos erros, terminem a nossa amizade. 

Nada é mais valioso do que ela.
(Desconhecido)

Te amamos, Rick!!!!!

terça-feira, 12 de agosto de 2014

A saga na justiça para ocupar uma vaga de concurso público! !


Olá pessoal,  alguns de vocês já sabem um pouco da minha vida porque já leram aqui no inperfeitas no Minha nada mole vida... Hoje conto pra vocês o que talvez seja um assunto que mexia muito comigo (vaidade, angústia e tristeza) e que só agora consigo expor a todos...

Em abril de 2011 fiz o concurso para Analista de Recursos Hídricos da Agência Pernambucana de Águas e Climas ( APAC) com 14 vagas e destas somente uma para deficiente físico. Exigia-se formação em diversos cursos inclusive Engenharia Química, onde sou graduada e já era mestre. Quando saiu o resultado fiquei muito feliz e não demorou para chamarem para a perícia médica do Estado. Mas para minha surpresa não fui aceita, fui dita inapta porque minha doença por ser progressiva ( Distrofia Muscular Fascio Escapula Humeral) seria prejudicada pelo exercício do cargo e assim ficaria sem movimentos (palavras ditas pela junta médica). Junta médica composta por 3 membros e somente dois assinaram. Entrei na justiça,  recentemente o perito médico determinado pelo juiz me examinou e atestou que sou plenamente apta para o exercício do cargo. 
Tenho sentença e decisão favorável no tribunal. Esperando somente um recurso para terminar o processo,  ser chamada e começar a trabalhar!  
Entrei em contato com a mídia para comover a sociedade e porque hoje estou desacreditando da justiça brasileira, mas nunca jamais deixarei de lutar. Estou cursando Doutorado em Engenharia Química atualmente,  e meu sonho é conseguir trabalhar na área. 

Matéria que saiu hoje na TV CLUBE-PE da rede Record:

video

Obs: peço desculpas pela má qualidade do vídeo feito de improviso pelo celular,  e assim que postarem no site da TV clube, colocarei aqui!!

Beijos e lutem sempre pelos seus direitos!!

sexta-feira, 1 de agosto de 2014

CNH especial - Esse assunto vai longe!!!

Hoje trago para vocês um pouco da história de Claudia, nossa leitora, que está tirando sua CNH e passando por muitas dificuldades. Até quando vamos viver em uma sociedade que nos revoltam, e nos deixam indignadas com tanta falta de consciência e desigualdade? Esse fato ocorreu em RN, um total desrespeito com as pessoas que possuem necessidades especiais, segue o relato:



"Bem para início de conversa me chamo Cláudia, tenho 33 anos, moro em Caicó-RN, tenho deficiência física e no início desse ano fui ao DETRAN com a pretensão de obter minha Carteira Nacional de Habilitação e lá fui informada que eu teria que ir a Natal, para eu poder ser avaliada por uma junta médica especial que no meu caso, expediu um laudo que determinava que eu era obrigada a dirigir veículo com transmissão automática, direção hidráulica e com prolongadores dos pedais e elevação do assoalho e/ou almofadas fixas de compensação de altura e/ou profundidade, devido a minha deficiência física. Sai do DETRAN de Natal, super feliz com essa probabilidade, já sentindo aquela impressão de liberdade e ao mesmo tempo pensando que não ia mais furar os meus pés em espinhos ou cacos de vidro, nem atolar as muletas na lama quando chovia, nem muito menos me queimar debaixo do sol causticante do nosso Sertão seridoense durante as idas e vindas do trabalho. 
E foi com essa alegria que corri para fazer minha matrícula em uma auto escola de Caicó-RN e lá veio o primeiro balde de água fria, que fez com que meu contentamento logo desse lugar a uma baita dor de cabeça, pois para meu espanto fui avisada que eu não poderia fazer as aulas práticas em Caicó, a cidade não possuía nenhuma empresa de Formação de Condutores que dispusesse de veículo com transmissão automática e direção hidráulica atendendo assim as minhas necessidades. Mesmo assim decidir fazer as aulas teóricas em Caicó, e enquanto eu cursava as aulas pesquisava a existência de alguma auto escola no Estado que me atendesse. Descobrir a existência de uma em Parnamirim, entretanto eles logo me avisaram que apesar do veículo ser adaptado era uma adaptação manual, ou seja, com ela o motorista usa as mãos para frear e acelerar. Informei que no meu caso a adaptação era outra já que constava no laudo. Tentei ainda explicar que esse tipo de adaptação que existia no carro deles era voltada para atender pessoas paraplégicas, ou seja, que não possuem movimentos da cintura para baixo. Já a minha deficiência era diferente pois, tenho os movimentos das pernas entretanto, possuo baixa estatura. No entanto, foram taxativos ao afirmarem que a adaptação era a que eles possuíam.
Diante dessa situação continuei a busca por outra auto escola já que o veículo da empresa de Parnamirim não atendia as minhas necessidades, e fui informada da existência de uma na cidade de Mossoró depois de ter sido aprovada no curso teórico e com a proximidade das minhas férias do trabalho fui p a Mossoró. Lá eu fui bem recebida, vi o carro, conversei com o instrutor, com o proprietário da escola e ficaram acertadas as aulas para as minhas férias, pois o horário do meu trabalho não permitiria esse translado entre Caicó-Mossoró diariamente. Foi marcado o início das aulas para o dia 07/07/2014, todavia adoeci com uma conjuntivite e passei uma semana sem poder sair de casa fazendo o tratamento recomendado pelo médico. Remarcamos então para o dia 22/07/2014, entretanto a pessoa que faz as adaptações no único carro que podia me atender sofreu um acidente e está impossibilitado de fazer as adaptações e consequentemente eu fiquei sem as aulas e ainda não sei quando será possível fazê-las.
Como professora, fico ainda me perguntando quando uma criança com deficiência chega a uma escola seja ela pública ou privada, somos obrigados a recebê-la e darmos o mínimo de condições para que ela estude, sob pena de respondermos na justiça. Afinal de contas a educação é um direito de todos e para todos. Partindo desse mesmo principio de respeito aos direitos do cidadão me questiono até quando os direitos de igualdade, acessibilidade e dignidade das pessoas com deficiência serão desrespeitados pelas auto escolas do RN e especialmente de Caicó (Centro Regional da Região do Seridó)? Será que as pessoas sem deficiência no RN e especialmente no Seridó vão continuar participando de suas aulas e exames práticos, sem maiores problemas, pois existem veículos em número suficiente para atendê-los, enquanto isso, pessoas com deficiência como eu, tem que sair de sua cidade, se cansar com longas e onerosas viagens e ausentar-se do trabalho durante vários dias? E por fim, até quando o Detran que é o órgão que coordena o serviço das auto escolas, vai fazer vista grossa a essa realidade? 
Sinceramente termino aqui agradecendo a sua atenção e com a esperança de que alguma pessoa possa responder a todos esses questionamentos e quem sabe modificar essa humilhante situação.
(Cláudia Medeiros de Araújo, 01/08/2014)

Se mais alguém tiver alguma história, nos mande, unidos podemos melhorar muitas coisas.
Até a próxima!


sábado, 19 de julho de 2014

Porto de Galinhas- Turismo Acessível, em partes!!!

Júnior e Geisa, Eu e Hugo!!
Vista da frente do hotel Village
Oi pessoal um desses finais de semana que passou fui com meu namorado e um casal de amigos para Porto de Galinhas, uma praia linda daqui de Pernambuco. Eu e ele somos cadeirantes e por isso precisávamos de um hotel com acessibilidade.



Existe um grande número de hotéis, pousadas, restaurantes e galerias em Porto de Galinhas e alguns deles já tem estrutura parcial ou completa para receber as pessoas com deficiência.


Depois de tantas  ligações e pedidos de fotos de hotéis (banheiro do quarto) acessíveis, enfim conseguimos o que queríamos!!!! O local é maravilhoso, fica de frente para o mar e o hotel tem uma boa estrutura para cadeirantes. Além disso o serviço é de ótima qualidade. No site do hotel Village Porto de Galinhas vocês podem olhar em 360 graus, isso quer dizer que podem ver cada detalhe do quarto acessível... Infelizmente só tem um quarto adaptado a cadeirantes, então caso queiram ir reservem bem antes...!!!!





Também passeamos por Porto, fomos olhar as lojinhas, e o ponto vergonhoso fica para o acesso a elas. Minha amiga tinha que mostrar as blusas indo até a entrada da loja pois o batente alto e a falta de espaço dificultavam nosso acesso. Da até vontade de não comprar, ensinar a esses comerciantes que também fazemos parte da sociedade economicamente ativa! 

Eu e Hugo em frente ao local do projeto Praia Acessível.


Paramos em um barzinho bem legal ( Caldinho do Cláudio)... OBS: não vou falar que é uma ótima estrutura, mas tem o básico... rampa e banheiro que dá para usar! 
A gente no bar Caldinho do Cláudio

De que adianta o hotel ter todas as adaptações necessárias e o município não se preocupar ? Eu gosto de ficar no hotel, mas também gosto de passear pelo lugar...ir a um bom restaurante... ver as lojinhas do local...etc




Informações importantes do Rodas da Liberdade e que são dicas indispensáveis aos amigos deficientes que queiram conhecer esse lindo lugar:


  • HOTEIS ACESSÍVEIS A CADEIRANTES


Hotel Armação

Hotel Nannai

Hotel Enotel

Hotel Summerville

Hotel Beach Class

Hotel Village

Hotel Best Western

Hotel Marupiara



  • POUSADAS ACESSÍVEIS


EcoPorto      (é a melhor!)  3552 1781 / 3552 2856

Som das Ondas  (parcialmente adaptada, porta do banheiro 65cm)                 3552 1339

Iandê

Xalés Maracaipe     8823 2259




  • RESTAURANTES


Peixe na Telha

Munganga

Domingos

Harmonia

Traga Luz




  • GALERIAS


Bantu

Caminho da Praia

Calçadão

Mergulho Junior

Porto Convivencia

Porto Point




  • BAR E DISCOTECA


Lua Morena




  • TERAPIAS


Espaço do Coração sagrado



Porto de Galinhas tem uma topografia plana que facilita a locomoção em cadeira de rodas. A praia, com maré baixa, se torna fácil de andar na areia dura, e com a água calma das piscinas naturais se torna seguro de tomar banho.




  • PASSEIO DE JANGADA NAS PISCINAS NATURAIS


Guga                               8411 7591




  • MERGULHO ADAPTADO


AICA Diving (Michel)         3552 1895




  • PASSEIO DE CAIAQUE


Rosalvo                           8725 7361

Henrique




  • PASSEIO DE JANGADA NO MANGEZAL


Rosalvo                           8725 7361




  • PASSEIO DE BUGGY


Arakem                                    8870 0776

Barné                                       8605 0158

Nildo                                       9245 4777

David                                       8845 4746




  • PASSEIO DE CAVALO


Xalés Maracaipe




  • PASSEIO DE CATAMARÃ


Cavalo Marino        8614 4010





MAIS INFORMAÇÕES COM O RODAS DA LIBERDADE NO FACEBOOK

Claro que não é o ideal, queremos que tudo e todos os locais sejam adaptados às nossas necessidades, sem que tenhamos que nos privar a um determinado local ou serviço... Mas como podemos ver, aos poucos chegaremos lá!!! Garanto que o passeio valerá a pena!!!

Beijos!!!!!!!


Eu e Hugo

domingo, 13 de julho de 2014

O grito do deixa disso!!!

Depois de um tempinho sem postar, quero pedir desculpas e dizer que esses dias foram bem corridos, apesar de estar de férias da faculdade, o trabalho está bem puxado. Fui também na minha médica em São Paulo, mas isso vou trazer em outro post pra vocês.
Hoje eu gostaria de escrever sobre algo que vivenciei nos últimos dias: O espanto das pessoas quando digo que trabalho, estudo e etc. 
Podem achar estranho isso, mas sim, ainda existem pessoas que quando falamos que estudamos, que trabalhamos, que dirigimos, que namoramos, fazem aquela cara assim: ohhhhhhhhhhh :o, sério?!


Como você consegue fazer tudo isso? Não se cansa? Nossa, mas você faz tudo isso? Você namora é? Você sai com os amigos a noite? A resposta pra isso é SIM! As vezes ainda esse sim vem acompanhado de um e não faço mais que minha obrigação.
O que é isso gente?! Estamos no século 21, onde cada vez mais as pessoas estão ocupando seus lugares na sociedade, gays, negros e etc. O que há de tão diferente em um "deficiente" trabalhar, estudar e namorar? 
Não somos super heroinas por fazer tudo que fazemos, alias, nem achamos esse tudo, tão tudo assim....kkkkkk. Inclusive esse rótulo de guerreiras que muitos nos colocam não é real, somos pessoas comuns, apenas querendo que a sociedade nos olhe de igual para igual.
Nós queremos muito mais, queremos além das atividades básicas como: trabalhar, estudar, namorar, passear, queremos mais, queremos fazer diferença no mundo. De alguma maneira deixar nossa marca na história, ainda que seja na história de uma única pessoa. 
E nesses últimos dias, posso dizer que vivi muito essa ohhhhhhhh, por parte da minha equipe médica toda, de alguns conhecidos, de alguns amigos de amigos, e por ai vai.
Sim, é sempre bom ser elogiada e admirada, mas somos acima de tudo pessoas comuns, com vidas comuns.
Deixo esse post como uma reflexão de que todos somos iguais apesar de nossas diferenças físicas, intelectuais, ou qualquer outra que exista. 
Até a próxima. Beijooos!!!

Catedral
"Somos todos iguais
Na chegada e na partida
No encontro e despedida
Na jornada pela vida sem saber..."



domingo, 8 de junho de 2014

Pátria amada, salve salve !!!


Há poucos dias do maior evento esportivo do planeta, a Copa do Mundo de Futebol, euzinha aqui resolvi acordar pro blog e falar sobre as inúmeras notícias que tem nos bombardeado. Por isso cuidado meninos e meninas, a Wi voltou kkkkkkkkkkkk

Estava em casa, focada no meu trabalho e nas lutas diárias que travo (momento muito eu kkkkkkk), quando me deparei com as notícias que vinham de cada canto do país, não que eu não assista jornais, assisto todos, mas fui despertada e agucei meus ouvidos. Fossem classes de trabalhadores insatisfeitos com as condições de trabalho e sua remuneração, os preços nas passagens de ônibus, grupos de pessoas indignadas com a fortuna gasta para a construção de estádios de futebol, marcha contra a violência doméstica e contra a mulher, passeatas pedindo justiça e punição para os políticos corruptos, melhorias na saúde, segurança e educação, movimentos reivindicando os direitos dos índios, dos homossexuais, dos negros, das pessoas com deficiência....enfim, fui "bombardeada" com a nossa realidade. Isso mesmo NOSSA REALIDADE, nada de novidade para nós, mas que agora tomou uma proporção global devido a Copa.

Outra coisa, vocês já pararam pra prestar atenção em como somos diferentes uns dos outros?! Não digo apenas fisicamente, mas em termos de personalidade, atitudes, gostos .... e que mesmo com tantas “especificidades” somos parecidos!? É verdade, somos parecidos. A começar pela composição do nosso corpo, basicamente somos iguais. A nossa natureza, humana racional, nos coloca no mesmo grupo, Homo sapiens. Mas o que não entendo é uma coisa bem simples, porque nós, seres racionais dotados de inteligência (seja ela musical, intrapessoal, espacial, corporal, matemática, emocional ...) ainda temos a arrogância de nos julgarmos melhores que os outros? Pode parecer que eu esteja revoltada com alguma situação que passei mas não é isso, juro! Mas de boa não consigo encontrar algum argumento plausível que justifique as inúmeras cenas de violência e agressão ao outro pelo simples fato de não aceitarmos a diferença.

Nunca fomos um país exemplo de sociedade organizada e desenvolvida, sem problemas e carências (sociais, econômicas, culturais, educacionais, políticas, humanas e estruturais). Somos sim um país de pessoas guerreiras, que conseguem transformar dor em poesia, que entre trancos e barrancos conquistam e superam as adversidades e mostram o seu valor. Com isso me pergunto e repasso a bola pra vocês, "será que a grande vilã é a Copa?! A causadora de tantos problemas é a FIFA?! Ou se pararmos de nos colocar na posição de vítima veremos que a "culpa" é nossa?!"

A polêmica (ou problemática) vai além desse evento esportivo, mexe com as escolhas que fazemos, a forma que exercemos o nosso poder de decisão nas eleições, trata também da forma com que percebemos o outro, a maneira que queremos ser vistos e entendidos. Usar com sabedoria nossos direitos, aprender a aceitar e conviver com as diferenças, respeitar os espaços e limites individuais, usar da inteligência para lutar em prol do bem comum, essas sim são atitudes que resolvem, são ações que somadas a decisões podem resolver. Não é depredando, pichando, saqueando e/ou agredindo as pessoas que a situação melhora, muito pelo contrário, causam um efeito reverso, onde a população (os que também estão insatisfeitos mas que lutam de outra forma) é a que mais sofre. 

A Copa do mundo vai acontecer, gostem ou não mas vai. E eu estarei torcendo pela minha seleção, sem demagogia e sem a ilusão de achar que uma taça de campeão vá melhorar em definitivo as nossas vidas. Vou celebrar a vitória de um time, de um esporte que consegue unir povos das mais diferentes culturas e que cumpre a sua finalidade, a de entreter e passar o sentimento de equipe. Quanto as questões sociais, as que representam e que fazem parte do nosso dia a dia, e não apenas de 90 minutos, essa NÓS temos que resolver nas urnas, nas nossas ações.  


Ao invés de nos vestirmos de preto, para mostrar a revolta e insatisfação, que vistamos as cores da nossa bandeira em sinal de respeito e de luta. Uma luta pacífica e com as armas certas para reconquistar o orgulho e crescermos. 
Espero que tenham gostado e vamos em frente 
Beijão e inté mais
=)

terça-feira, 3 de junho de 2014

Minha visita às crianças do NACC- lição de vida!!!

Oi pessoal, tudo bem com vocês? Esse sábado fui a um lugar muito especial, o NACC e foi massa... chega mais para saber a respeito...;)

Nós com duas crianças em tratamento.


O que é o NACC??
É o Núcleo de Apoio a Crianças com Câncer. Geralmente recebem crianças do interior que precisam fazer o tratamento na Capital ( Recife) e não têm condições de ficar em algum lugar. Então lá é um prédio com alguns andares, onde cada um destes possuem quartos com banheiros. Em cada quarto ( ou na maioria deles) tem 2 camas e um banheiro e também existe instalação adaptada a cadeirantes. Há salas de fisio1terapia e um salão para recreação. Realmente, além de bem estruturado é tudo super limpo.

Fui convidada por minha amiga Magda, sempre engajada nessas causas, que todo ano comemora seu aniversário alegrando a vida dessa criançada que tanto precisa desses mosmentos de alegria.

A turma animando as crianças com brincadeiras e carinho.


A experiência foi enriquecedora e surpreendente. Surpreendente porque antes de ir imaginei como seria minha reação e estava muito preocupada em não demonstrar tristeza ou compaixão pela situação daquelas crianças, seres tão pequenos indefesos e já sofrendo tanto com os efeitos dolorosos da quimioterapia e radioterapia. Para minha surpresa, fiquei abestalhada ( como a gente costuma dizer aqui em Pernambuco) com tanta força e capacidade de adaptação dessas crianças. Me peguei várias vezes olhando boba para elas pensando em como quantas vezes fui fraca em imaginar que meus problemas não tinham solução.

Eu tentei passar minha alegria mesmo sendo uma pessoa "diferente" cadeirante. Eu não sei se consegui, espero que sim... Mas na verdade foi delas comigo a maior contribuição.

Que vergonha! Vergonha de não acordar disposta algumas vezes, de mal querer sair da cama... Vergonha de não ter nem a terça parte de esperança, alegria e fé daquelas crianças!


"Aqui estão eles lutando corajosamente pela vida e eu com pena de mim mesma... ?! Com que direito ?!

CALA-TE E CONTINUA, LUCIANA MARQUES ! 

A vida já te ensinou muito mais do que isso ! 

Estes bravos guerreiros já provaram tantas vezes que não desistem ! Não vão abaixo ! Que estão aqui para lutar até o último sopro de força !

Cada um deles precisa que acreditemos que ELES CONSEGUIRÃO VENCER !"

Turma animando as crianças na festa verde e amarela no NACC.


Saio dessa experiência com a certeza que não sou mais a mesma pessoa, resgatei ali uma força que há muito procurava dentro de mim.

Obrigada amiga Magda Vieira, obrigada crianças do NACC e principalmente, obrigada DEUS!!



domingo, 1 de junho de 2014

Porque eu me reinvento todos os dias!!!

O que seria do clima se não houvesse a mudança de Estações?! Seria tudo muito chato, monótono, sem graça. Ou sempre frio, ou sempre calor. As flores não floresceriam, as folhas não cairiam, e não poderíamos aproveitar a diversidade de cada clima, o frio ou o calor.
Assim como as Estações é a nossa vida. Um dia estamos de um jeito, e de repente tudo já mudou. Eu mudo a cada dia, e eu mudo de humor, mudo de opinião, hoje já não tenho mas a opinião de antes e amanhã posso não ter a mesma que hoje. Como já dizia Clarice Lispector "Sou isso hoje, amanhã já me reinventei...". 
Ter sempre a mesma opinião sobre tudo é muito vago. Podemos mudar de opiniões sobre as pessoas, sobre lugares que queremos visitar, sobre coisas que queremos fazer, sobre as roupas que queremos vestir, e porque não mudar de opinião sobre nós mesmo, sobre quem somos e quem gostaríamos de ser.
Essa semana eu fiz uma grande reflexão de quem eu já fui e de quem eu sou hoje, e todas essas mudanças me fizeram melhor, me fizeram mais mulher, me fizeram mais profissional, enfim, me fizeram melhor. Não tenha medo de mudar, de ser outra pessoa, ou de ser realmente você. 
A mudança assusta, e nós que passamos por mudanças constantes em nossas vidas, podemos afirmar isso. Mudanças no corpo, mudanças na mente, mudanças no jeito de caminhar, mudanças na nossa força. Mas a mudança ela é a chave da sua felicidade. Por isso mude, e acima de tudo, mude para o que realmente te faz feliz! 

Deixo aqui o Texto completo da Clarice que adoro e me descreve muito:

"Sou isso hoje, amanhã já me reinventei. Reinvento-me sempre que a vida pede um pouco mais de mim. Sou complexa, sou mistura, sou mulher com cara de menina. E vice-versa. Me perco, me procuro e me acho. E quando necessário, enlouqueço e deixo rolar. Não me dôo pela metade, não sou tua meio amiga, nem teu quase amor. Ou sou tudo ou sou nada. Não suporto meio termos. Sou boba, mas não sou burra. Ingênua, mas não santa. Sou pessoa de riso fácil, mas choro também.'' Clarice Lispector

E ai, vamos mudar? Inspire-se. Até a próxima!!! Beijos




quarta-feira, 28 de maio de 2014

A MANSÃO DE MISS JANE - MIX

Reestreia em São Paulo, o espetáculo "A MANSÃO DE MISS JANE - MIX", sob direção de Deto Montenegro.

A MANSÃO DE MISS JANE é um espetáculo do Candé Brandão, Sabrina Wilkins e Tchello Palma, que retrata a história de uma mansão que já teve seus dias de glória e seus tempos de alegria que pareciam infinitos. Nela, criaturas fantásticas, lendas urbanas, monstros eternos e psicopatas cruéis se misturam aos simples mortais. Até que homens da prefeitura vão à mansão exigindo que a proprietária, Miss Jane, pague suas dívidas ou entregue a casa. O que a velha senhora não sabe é que ela não está sozinha, e que as criaturas que ali habitam tentam arranjar uma maneira de ajudá-la.

No melhor estilo Rocky-Horror-Show, "A Mansão de Miss Jane", traz muita comédia, versões de clássicos do rock, além de coreografias inusitadas e uma história de arrepiar.


Uma das lindas mulheres que participam da peça, também chamada de musical, é a Renata Luz, cadeirante de 24 anos, que vai contar um pouco para nós dessa experiência.


"O convite para participar do Teatro surgiu através de uma amiga. Ela me falou sobre o projeto e me chamou para conhecer e participar.

Eu nunca havia pensado em fazer teatro, mas no primeiro dia em que fui à aula, me apaixonei. Foi uma mistura de sensações, uma experiência que ainda não tinha vivenciado. Bom a partir daquele dia, comecei a frequentar todas as aulas. Cada aula era um aprendizado, uma novidade, uma visão que nunca tinha tido, as luzes, os gestos, as caras e bocas me fascinavam.


Passar por cada fase de aprendizado, e poder colocar tudo em pratica, ali no ao vivo e a cores é perfeito. É um mix de superação, de encantamento e de realização. O teatro para mim mostrou um lado diferente da vida, uma forma irreverente, descolada. Tem me encantado, desde o inicio, e isso é realmente contagiante.



Agora estamos prestes a nos apresentar, estaremos em temporada em Junho e Julho com a peça a Mansão de Miss Jane - Mix. E com certeza será uma experiência maravilhosa, tudo o que foi estudado e treinado nesses meses de curso, ser finalizando com uma linda peça! Está incrível. Venham conferir!"


Local: 
Teatro Dias Gomes (Rua Domingos de Morais, 348 - Ao lado do metrô Ana Rosa).
Datas: 
15/06, 22/06 e 29/06 (DOMINGOS) - às 16:30h
05/07 (SÁBADO) às 21:00h
06/07 (DOMINGO) às 20:00h

Que cada vez mais projetos como esse sejam criados e patrocinados, para que também outros estados possam recebê-los. 






segunda-feira, 19 de maio de 2014

IDENTIDADE ESTEREOTIPADA

De uma discussão sobre os preconceitos que sofro pelos próprios deficientes (alguns), surgiu esse artigo feito por meu amigo, Dudé Vocalista.


IDENTIDADE ESTEREOTIPADA , 
                                       por Dudé Vocalista

                                                                                   
Dentro dos avanços alcançados a passos de tartaruga, no que diz respeito aos direitos das pessoas com deficiência, a busca do que chamo de ‘’Identidade PCD’’ é um dos capítulos mais contraditórios que existem.

Fico a pensar com meus botões o Inferno de Dante que deve ser a cabeça de um sujeito que prega igualdade de direitos junto com o reforço de estereótipos. E vamos tentar focar o assunto um pouco além do apontar a velha e boa culpada de sempre: a sociedade em geral.

Ver discursos dos mais variados sobre o tema ‘’direitos iguais’’, sempre contrabalançados por uma retórica assistencialista, não é nenhuma novidade. Nem os discursos contraditórios transportados das redes sociais pras relações pessoais. O interessante é a concorrência de ideias entre as próprias pessoas com deficiência com a bandeira hipócrita da busca por uma identidade.

Buscar a igualdade de condições pedindo pra que as pessoas continuem prestando atenção à cadeira de rodas, ao invés do ser humano sentado nela, é uma situação que confunde até os mais espirituosos e com paciência de sobra. E ainda colocando tal contradição como a coisa mais normal desse mundo é de dar um nó na cabeça de qualquer um.

E tal raciocínio se enraizou de tal forma em algumas pessoas com deficiência, que encontrar algum deficiente que não pensa e age assim se torna motivo de conflito.

Pois é, você quer ser visto de igual pra igual, quer igualdade de condições, mas vomitando sua falta de autoafirmação. E criticando duramente seu semelhante que não pensa assim.

Já tem um bom tempo que blogueiros e revistas pedem pra que eu escreva sobre o assunto. Sinceramente, já não sei mais o que dizer sobre isso. 

Na verdade, o fato desse assunto ainda ser tratado com tanta frequência é o grande motivo de preocupação, pois ainda mostra certa imaturidade de alguns PCDs incapazes de encontrar um ponto de equilíbrio pras suas próprias vidas. E ainda utilizam uma falsa autoridade no assunto inclusão social pra criticar os deficientes que não compartilham das mesmas atitudes. Paladinos desinformados, e desequilibrados emocionalmente, sinceramente, são tudo o que não precisamos.

Ou seja: falta um pessoal parar pra olhar seu próprio reflexo no espelho, antes de cobrar a compreensão alheia de forma tão imatura.


domingo, 4 de maio de 2014

Quando estou fraco, então sou forte!!!

Hoje, conversando com uma amiga, falávamos justamente sobre as nossas fraquezas, fraquezas essas que podem não ser fraquezas aos olhos de Deus, e que nós acabamos não tendo a sabedoria necessária para distingui-la. 
As vezes passamos por determinadas situações e agimos de tal forma que nos achamos fracos e nos perguntamos, porque não fizemos de outra maneira?! Ou quantas vezes renunciamos a alguma coisa e nos sentimos fracassados e derrotados?! Pois é, muitas vezes uma renuncia significa a decisão mais difícil a se tomar e é justamente nesse momento que você está sendo mais forte do que realmente imagina. Eu sei que minha amiga irá ler isso, e saberá que esse post é justamente pra ela, prefiro não citar nomes em respeito as pessoas envolvidas, mas a conversa de hoje me levou a uma grande reflexão, eu fechei os olhos e lembrei de quantas vezes eu achei que o mundo estava desabando em minhas costas, e era justamente nesses momentos em que eu me tornei mais forte, e tomei as melhores decisões. Quantas vezes nós pensamos que não podemos, que não somos capazes? Quantas vezes em términos de namoros, ou no fracasso em um determinado trabalho, na faculdade pensamos em desistir? Quantas vezes nós pensamos que uma doença é o fim? Quantas vezes uma limitação nos fez desistir de algo e então nos sentimos fracos? 


Nesses momentos podem ter certeza que nos tornamos fortes, que crescemos, que aprendemos e amadurecemos. 
Quando tudo parece não ter solução, ela está mais perto do que você imagina.
Existe uma força maior que não sabemos de onde vem, mas ela vem e nos conforta em todos os problemas. Por isso eu sempre digo, não importa o tamanho do seu problema, nunca se julgue fraco, nunca se julgue derrotado, pois a solução está por vir e nesse momento você está mais forte do que nunca. E gostaria de deixar dois trechinhos da Bíblia que eu gosto muito e sempre releio quando preciso de alguma orientação:

"Por isso sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias por amor de Cristo. Porque quando estou fraco então sou forte".
2 Coríntios 12:10

"Cantai ao Senhor, vós que sois seus santos, e celebrai a memória da sua santidade.
Porque a sua ira dura só um momento; no seu favor está a vida. O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã."
Salmos 30:4-5

Uma abençoada semana a todos. 
Até a próxima! Beijos.