segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Aniversário do Rick!!!


Neste último sábado foi a comemoração do aniversário do nosso grande amigo Ricardo Oliveira Ramos e acredito que grande parte dos leitores o conheçam, pois ele já é figurinha carimbada aqui no inPerfeitas!! :))) Viajei para Brasília para comemorar esse dia tão especial com ele!!

Matérias com o Rick:

Para mim, conhecer uma pessoa como o Ricardo é acima de tudo uma grande sorte! Além de amigo, tenho nele um exemplo de ser humano! E por esse motivo acho importante cada um de vocês o conhecerem e sentirem essa felicidade e força ao ver seu sorriso. Gravei para vocês a festa de pirata do Rick, onde ele recebeu seus amigos ;) 

Se divirtam com o vídeo e deixo aqui uma mensagem para esse meu amigo tão especial :

Amigo,

Estamos distantes e ao mesmo tempo tão 
perto...
A amizade que nos une pode vencer todas as 
distâncias.

Ela sim é mais forte que o tempo. Ela sim 
poderia atravessar 
a imensidão do espaço e transcender os limites 
da vida.

Sim... Como ela é forte, pois essa amizade nada 
nem ninguém 
destruirá. Que perdure enquanto nossas almas 
existirem... 

Que nem a distância, nem o tempo e nem 
mesmo 
os nossos erros, terminem a nossa amizade. 

Nada é mais valioso do que ela.
(Desconhecido)

Te amamos, Rick!!!!!

terça-feira, 12 de agosto de 2014

A saga na justiça para ocupar uma vaga de concurso público! !


Olá pessoal,  alguns de vocês já sabem um pouco da minha vida porque já leram aqui no inperfeitas no Minha nada mole vida... Hoje conto pra vocês o que talvez seja um assunto que mexia muito comigo (vaidade, angústia e tristeza) e que só agora consigo expor a todos...

Em abril de 2011 fiz o concurso para Analista de Recursos Hídricos da Agência Pernambucana de Águas e Climas ( APAC) com 14 vagas e destas somente uma para deficiente físico. Exigia-se formação em diversos cursos inclusive Engenharia Química, onde sou graduada e já era mestre. Quando saiu o resultado fiquei muito feliz e não demorou para chamarem para a perícia médica do Estado. Mas para minha surpresa não fui aceita, fui dita inapta porque minha doença por ser progressiva ( Distrofia Muscular Fascio Escapula Humeral) seria prejudicada pelo exercício do cargo e assim ficaria sem movimentos (palavras ditas pela junta médica). Junta médica composta por 3 membros e somente dois assinaram. Entrei na justiça,  recentemente o perito médico determinado pelo juiz me examinou e atestou que sou plenamente apta para o exercício do cargo. 
Tenho sentença e decisão favorável no tribunal. Esperando somente um recurso para terminar o processo,  ser chamada e começar a trabalhar!  
Entrei em contato com a mídia para comover a sociedade e porque hoje estou desacreditando da justiça brasileira, mas nunca jamais deixarei de lutar. Estou cursando Doutorado em Engenharia Química atualmente,  e meu sonho é conseguir trabalhar na área. 

Matéria que saiu hoje na TV CLUBE-PE da rede Record:

video

Obs: peço desculpas pela má qualidade do vídeo feito de improviso pelo celular,  e assim que postarem no site da TV clube, colocarei aqui!!

Beijos e lutem sempre pelos seus direitos!!

sexta-feira, 1 de agosto de 2014

CNH especial - Esse assunto vai longe!!!

Hoje trago para vocês um pouco da história de Claudia, nossa leitora, que está tirando sua CNH e passando por muitas dificuldades. Até quando vamos viver em uma sociedade que nos revoltam, e nos deixam indignadas com tanta falta de consciência e desigualdade? Esse fato ocorreu em RN, um total desrespeito com as pessoas que possuem necessidades especiais, segue o relato:



"Bem para início de conversa me chamo Cláudia, tenho 33 anos, moro em Caicó-RN, tenho deficiência física e no início desse ano fui ao DETRAN com a pretensão de obter minha Carteira Nacional de Habilitação e lá fui informada que eu teria que ir a Natal, para eu poder ser avaliada por uma junta médica especial que no meu caso, expediu um laudo que determinava que eu era obrigada a dirigir veículo com transmissão automática, direção hidráulica e com prolongadores dos pedais e elevação do assoalho e/ou almofadas fixas de compensação de altura e/ou profundidade, devido a minha deficiência física. Sai do DETRAN de Natal, super feliz com essa probabilidade, já sentindo aquela impressão de liberdade e ao mesmo tempo pensando que não ia mais furar os meus pés em espinhos ou cacos de vidro, nem atolar as muletas na lama quando chovia, nem muito menos me queimar debaixo do sol causticante do nosso Sertão seridoense durante as idas e vindas do trabalho. 
E foi com essa alegria que corri para fazer minha matrícula em uma auto escola de Caicó-RN e lá veio o primeiro balde de água fria, que fez com que meu contentamento logo desse lugar a uma baita dor de cabeça, pois para meu espanto fui avisada que eu não poderia fazer as aulas práticas em Caicó, a cidade não possuía nenhuma empresa de Formação de Condutores que dispusesse de veículo com transmissão automática e direção hidráulica atendendo assim as minhas necessidades. Mesmo assim decidir fazer as aulas teóricas em Caicó, e enquanto eu cursava as aulas pesquisava a existência de alguma auto escola no Estado que me atendesse. Descobrir a existência de uma em Parnamirim, entretanto eles logo me avisaram que apesar do veículo ser adaptado era uma adaptação manual, ou seja, com ela o motorista usa as mãos para frear e acelerar. Informei que no meu caso a adaptação era outra já que constava no laudo. Tentei ainda explicar que esse tipo de adaptação que existia no carro deles era voltada para atender pessoas paraplégicas, ou seja, que não possuem movimentos da cintura para baixo. Já a minha deficiência era diferente pois, tenho os movimentos das pernas entretanto, possuo baixa estatura. No entanto, foram taxativos ao afirmarem que a adaptação era a que eles possuíam.
Diante dessa situação continuei a busca por outra auto escola já que o veículo da empresa de Parnamirim não atendia as minhas necessidades, e fui informada da existência de uma na cidade de Mossoró depois de ter sido aprovada no curso teórico e com a proximidade das minhas férias do trabalho fui p a Mossoró. Lá eu fui bem recebida, vi o carro, conversei com o instrutor, com o proprietário da escola e ficaram acertadas as aulas para as minhas férias, pois o horário do meu trabalho não permitiria esse translado entre Caicó-Mossoró diariamente. Foi marcado o início das aulas para o dia 07/07/2014, todavia adoeci com uma conjuntivite e passei uma semana sem poder sair de casa fazendo o tratamento recomendado pelo médico. Remarcamos então para o dia 22/07/2014, entretanto a pessoa que faz as adaptações no único carro que podia me atender sofreu um acidente e está impossibilitado de fazer as adaptações e consequentemente eu fiquei sem as aulas e ainda não sei quando será possível fazê-las.
Como professora, fico ainda me perguntando quando uma criança com deficiência chega a uma escola seja ela pública ou privada, somos obrigados a recebê-la e darmos o mínimo de condições para que ela estude, sob pena de respondermos na justiça. Afinal de contas a educação é um direito de todos e para todos. Partindo desse mesmo principio de respeito aos direitos do cidadão me questiono até quando os direitos de igualdade, acessibilidade e dignidade das pessoas com deficiência serão desrespeitados pelas auto escolas do RN e especialmente de Caicó (Centro Regional da Região do Seridó)? Será que as pessoas sem deficiência no RN e especialmente no Seridó vão continuar participando de suas aulas e exames práticos, sem maiores problemas, pois existem veículos em número suficiente para atendê-los, enquanto isso, pessoas com deficiência como eu, tem que sair de sua cidade, se cansar com longas e onerosas viagens e ausentar-se do trabalho durante vários dias? E por fim, até quando o Detran que é o órgão que coordena o serviço das auto escolas, vai fazer vista grossa a essa realidade? 
Sinceramente termino aqui agradecendo a sua atenção e com a esperança de que alguma pessoa possa responder a todos esses questionamentos e quem sabe modificar essa humilhante situação.
(Cláudia Medeiros de Araújo, 01/08/2014)

Se mais alguém tiver alguma história, nos mande, unidos podemos melhorar muitas coisas.
Até a próxima!